Músicos do Festival

Emanuelle Baldini

Emanuelle Baldini

Violino

Emmanuele Baldini nasceu em Trieste (Itália) cercado pela música: seu pai, Lorenzo Baldini, foi um importante pianista e didata italiano; e sua mãe, Eletta Baldini, foi professora de teoria e solfejo no conservatório da sua cidade, além de ser uma formidável pianista também.

Depois dos estudos em Trieste com Bruno Polli, Baldini se aperfeiçoou em Genebra com Corrado Romano, em Salisburgo e Berlim com Ruggiero Ricci, e mais recentemente na regência com Isaac Karabtchevsky e Frank Shipway.

Desde sua adolescência ganhou inúmeros concursos internacionais, entre os quais se destacam o “Premier Prix de VirtuositéavecDistinction” em Genebra, o “ForumJungerKünstler” em Viena e mais dez concursos para solistas ou em grupos de câmara.

Sua incansável curiosidade e paixão pela música fez o Baldini ampliar seus horizontes e começou a se aperfeiçoar como regente, fundou o Quarteto Osesp, intensificou sua atividade didática e, com o violino, começou a explorar o precioso repertório brasileiro, em parte injustamente desconhecido.

Na Itália, Baldini foi “spalla” da Orchestradel Teatro Comunale di Bologna, Orchestradel Teatro allaScala di Milano, e a Orchestradel Teatro “Giuseppe Verdi” di Trieste, e desde 2005 é “spalla” titular da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Como convidado, foi "spalla" também da Orquestra Sinfônica da Galícia, na Espanha.

Como regente, se destacam concertos no Teatro Colón de Buenos Aires, no Teatro del Sodre de Montevidéu, e apresentações com as principais orquestras da América latina. Desde 2017 é diretor musical da Orquestra de câmara de Valdivia, no Chile, começando assim um novo capítulo de sua atividade multifacetada.


Patrocínios